Informativo publicado em 13/08/2019
A Faceb tem acompanhado com atenção a queda dos juros (Taxa Selic) para níveis nunca vistos antes no País. Atualmente, essa taxa caiu para 6%, mas o mercado financeiro já estima redução para 5,25% ao ano no fim de 2019 (com taxas reais ao redor de 3%). Sem dúvidas, é um ambiente bastante desafiador.
 
Para que você tenha uma ideia mais clara sobre os reflexos dessa baixa da Taxa Selic na Fundação e em todo o setor de previdência complementar fechada, fizemos uma rápida entrevista com os técnicos da área de Investimentos da Faceb: 

1) A revista Istoé Dinheiro destacou em 02/08/19 que “Juros mais baixos forçam os fundos de pensão a caminhar para a renda variável”. Vocês concordam?
Sim. O novo cenário obriga as fundações - que hoje investem em média 75% de seu patrimônio na renda fixa e apenas 18,5% em ações - a rever estratégias. Com a perspectiva de manutenção de juros baixos, temos a necessidade de tomar mais risco e buscar maior diversificação de aplicações.

2) Então teremos que deixar o “conforto” dos títulos públicos federais?
Temos que garantir a rentabilidade dos ativos da Fundação, mas somente com títulos públicos isso não será possível. Na citada reportagem da Istoé, há inclusive um trecho que destaca que “esse conforto partiu, para nunca mais voltar”.

3) Que outros fatores contribuem para essa mudança de cenário?
O aumento da expectativa de vida dos brasileiros é um fator muito relevante. De acordo com dados do IBGE, essa expectativa aumentou 30,5 anos entre 1940 e 2017. Segundo o Sr. Antonio Gazzoni, diretor da Mercer, empresa responsável atuarial pelos planos de benefícios da Faceb (e que cuida também de outros 100 milhões de “participantes” em todo o mundo), a cada ano a mais que uma entidade paga em benefícios a base do passivo aumenta em média 3%. 

Taxa de juros e tábua de sobrevivência
O Conselho Deliberativo é o órgão gestor responsável na Faceb por definir, anualmente, as premissas de taxa de juros e de tábua de sobrevivência, amparado em estudos científicos dos técnicos da Faceb e de consultores, tais como a Mercer e a Adittus. Atualmente, a taxa de juros da Fundação é INPC + 5% para o Plano BD e INPC + 4,38% para o CD. Quanto à tábua, utilizamos a AT 2000 masculina/feminina, suavizada em 10%.

A taxa de juros tem limites estabelecidos pela Previc, como determina a legislação (IN 23). Já a tábua de mortalidade é definida por meio de estudos de aderência de hipóteses preparados pela Mercer. São escolhidos pelo Conselho Deliberativo aqueles mais aderentes à população da Faceb.

Dúvidas? Venha conversar com nossa equipe de Investimentos. Estamos à disposição!
Abraços
Equipe Faceb